Projeto encerra ciclo em Careiro da Várzea

O encerramento das atividades de campo em Careiro da Várzea (AM) garante mais um ano de alimentação de qualidade nas escolas indígenas do município por meio do edital do PNAE.

O projeto Sociobiodiversidade Amazônica tem quatro fortes linhas de atuação: 1) a promoção das cadeias de valor dos produtos e alimentos da sociobiodiversidade amazônica, começando pelo diagnóstico de quais são em cada território; 2) campanhas para a promover esses produtos a partir da metodologia do Slow Food; 3) qualificação e fomento dos produtores rurais acerca do que produzem, e 4) assessoria aos produtores rurais na busca por mercados institucionais para venderem seus produtos. É um trabalho que exige acompanhamento dedicado da equipe, muita negociação e uma grande capacidade de escuta durante as atividades de campo. 

O fundamental é que a equipe técnica consiga compreender a realidade de cada comunidade considerando a especificidade dos territórios em questão. O último campo do projeto em uma das comunidades do Amazonas é um bom exemplo de como o percurso proposto pelo projeto faz sentido, e do tanto que a articulação para a venda do que é produzido e cultivado por produtores rurais da Amazônia é o maior desafio. 

Vista da região de Careiro da Várzea, só se chega de barco. crédito: Bruno Franques.

Há pouco mais de 20 quilômetros de Manaus está Careiro da Várzea, antigo distrito da capital do Amazonas. A localidade tornou-se município em 1955 e de acordo com censo de 2010 do IBGE tem cerca de 20.000 habitantes em um território de quase dois milhões de quilômetros quadrados. Ali, como em outros municípios da região, o ritmo de produção é marco pela alternância entre as alternâncias entre cheias e secas que mudam completamente a vida dos moradores.  

Grande parte da cidade é formada pela zona rural e, como consequência, a população está espalhada por territórios distantes, o que dificulta o acesso. É preciso navegar de barco para chegar até a comunidade onde está a Associação dos Produtores de Orgânicos Renascer de Careiro da Várzea (APRORCAV). A equipe do Slow Food participou de seis atividades de campo no âmbito do projeto entre agosto de 2022 e agosto de 2023. Na última etapa de trabalho com o grupo, a equipe do projeto deslocou-se até a região para apoiar os produtores associados à APRORCAV na participação das chamadas públicas referentes ao Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE) de Careiro da Várzea. 

Reunião para escrita dos projetos a serem submetidos ao edital do PNAE 2023. crédito Zhamis Benício.

Quando chegaram na comunidade, as notícias eram que os produtores haviam desistido de participar do edital de 2023 do PNAE porque não haviam recebido a última parcela de pagamento prevista no contrato anterior. A Associação estava com dificuldade no diálogo com a secretaria de educação da cidade, responsável pela gestão do contrato vigente e pelo edital de 2023. Os dois técnicos que foram a campo, Bruno Franques (@bruno.franques) e Zhamis Benício (@zhamisb), estiveram presentes na comunidade entre 28 e 31 de agosto passado. Os técnicos estabeleceram uma dinâmica para mediar e articular as reivindicações da APRORCAV junto à Secretaria de Educação do município. Foram três dias de reuniões com os produtores rurais para elaboração e ajustes das propostas em paralelo com três reuniões, uma por dia, com a Secretaria de Educação, para realizar ajustes no edital lançado, que financeiramente não apresentava preço de venda compatível com o preço de custo dos produtos previstos para aquisição. 

Após um trabalho de muita escuta, conversa e força tarefa foi possível elaborar projetos de venda para entrega de nove produtos para cada uma das 12 escolas do território. Além disso, ao apresentar uma proposta para ajuste de edital inicial com novas condições de valores e o pedido de inclusão de ajuda na distribuição dos produtos à secretaria de educação do município, a Secretária concordou em atender todas as propostas. A secretaria inclusive se comprometeu a cobrir todo o custo do combustível para o transporte dos alimentos até as escolas, que precisa ser feito de barco em grande parte das áreas. Além disso, partiu da própria secretaria a sugestão de ampliar a abrangência do edital com inclusão de outras quatro escolas indígenas. 

Assim, o encerramento das atividades em Careiro da Várzea com a Associação dos Produtores de Orgânicos Renascer de Careiro da Várzea foi um momento marcante que estreitou os laços com a população local. Agora, como parte da rede Slow Food, os produtores da região têm a chance de manter contato com produtores de outros lugares do estado e da Amazônia, além de terem organizado e sistematizado a produção que vendem, ressignificando o valor que existe nesse trabalho. 

————–
O projeto Sociobiodiversidade Amazônica é realizado pelo Slow Food Brasil com apoio do projeto Bioeconomia e Cadeias de Valor, desenvolvido pela Cooperação Brasil-Alemanha para o Desenvolvimento Sustentável, por meio da parceria entre o Ministério Desenvolvimento Agrário e Agricultura Familiar (MDA) e a Deutsche Gesellschaft für Internationale Zusammenarbeit (GIZ) GmbH, com recursos do Ministério Federal da Cooperação Econômica e do Desenvolvimento (BMZ) da Alemanha.

Fotografia em destaque, crédito: Bruno Franques

Deixe um comentário:

Últimas notícias

Visual Portfolio, Posts & Image Gallery for WordPress

Terra: a mãe de todas as lutas

Democratizar o acesso à terra e ao alimento bom, limpo e justo é dar condições à vida Confluindo com o mês de visibilidade às lutas dos povos originários, em abril, iniciaram as...

Peixe de Varal

Pescados artesanais, cozinha local, sabedoria caiçara, tempo, sol e mar,  são esses os ingredientes que da Peixe de Varal. Angélica Souza é pescadora, cozinheira e empreendedora na Peixe de Varal. É um...

Território e Cultura Alimentar no Ceará

Projeto propõe ações de fortalecimento junto a comunidades indígenas cearenses A confluência entre a Associação Slow Food do Brasil (ASFB), a Secretaria de Desenvolvimento Agrário, através do Projeto São José, e a...