Slow Food Indica

Visibilidade e acesso a mercados mais competitivos para alimentos bons, limpos e justos

Mais um passo está sendo dado para qualificar a participação da agricultura familiar baiana em cenários de grande concorrência comercial. O acordo de cooperação técnica firmado entre o Governo da Bahia, o Slow Food Internacional e a Associação Slow Food do Brasil prevê a execução de um projeto dedicado à valorização dos produtos da agrobiodiversidade oriundos de organizações produtivas, com foco na aproximação de consumidores e na expansão da oferta na capital do estado.

Pactuado junto à Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional (CAR), vinculada à Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR), a proposta do “Slow Food Indica” é dar suporte ao processo de comercialização, rastreabilidade e divulgação dos alimentos produzidos por agroindústrias que serão disponibilizados em um circuito sistematizado de pontos de venda em Salvador e região metropolitana.

Tendo como referência as diretrizes do movimento Slow Food, e sua atuação no Brasil, foram realizadas duas rodadas de diálogos elucidativos com cada uma das instituições indicadas pela Coordenação de Inteligência de Mercado do Bahia Produtiva. O objetivo, nessa primeira etapa, foi compreender a diversidade das cadeias produtivas e identificar os empreendimentos e alimentos convergentes, além da coleta de informações para subsidiar o desenvolvimento das estratégias de comunicação e marketing direcionadas à promoção nos estabelecimentos comerciais a serem mapeados.

Etiquetas Narrativas

O aumento da procura por uma alimentação saudável, livre de transgênicos e agrotóxicos, e consumidores despertando cada vez mais quanto aos impactos ambientais e sociais de suas escolhas, revela uma abertura no mercado soteropolitano para criar condições sustentáveis de relacionamento entre campo e cidade. Uma oportunidade, pela perspectiva do Slow Food Indica, de destacar aqueles produtos autênticos das cooperativas e associações do território, que possuem, além das qualidades organolépticas e nutricionais naturais preservadas, valores intrínsecos por fomentar práticas e saberes tradicionais das famílias trabalhadoras e guardiãs da biodiversidade da Bahia. 

Com a intenção de  reduzir as distâncias geográficas até o consumidor final e cultivar na cidade experiências de consumo consciente, serão construídas Etiquetas Narrativas para apresentar a realidade da produção, como técnicas de cultivo, criação e processamento, além de expressar sobre os contextos culturais e identitários. Uma ferramenta informativa, que atua diretamente na relação entre quem produz e quem consome, contando uma história viva, que agrega valor de verdade ao produto e dá ainda mais gosto e prazer na hora de comprar.

Leave a Comment:

Últimas notícias

Visual Portfolio, Posts & Image Gallery for WordPress

revolta_dos_males

A revolta dos malês e a comida baiana

Date 24 janeiro, 2023
por Patrícia Nicolau e Ednilson Andrade, integrantes do coletivo Antirracismo Slow Food A revolta constituída de quase 600 homens, majoritariamente muçulmanos e...