FAO e Slow Food assinam acordo de cooperação

A Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO) e a organização internacional ‘Slow Food’ firmaram um acordo na quarta-feira (15) para desenvolver ações conjuntas para melhorar os meios de subsistência de pequenos agricultores que vivem em áreas rurais.

Segundo o memorando de entendimento assinado pelas duas organizações, por um período de três anos, a união de forças promoverá sistemas alimentares e agrícolas mais inclusivos localmente, nacionalmente e internacionalmente.

 

As atividades se concentrarão principalmente em campanhas promocionais conjuntas, fortalecimento de redes locais, regionais e globais, além da divulgação de iniciativas como o Ano Internacional da Agricultura Familiar, que será em 2014.

As iniciativas destacarão o valor dos alimentos e dos cultivos locais esquecidos, além de abordar o acesso ao mercado para os pequenos produtores, melhorando a conservação e uso da biodiversidade, a redução de perdas e desperdícios alimentos e a melhoria do bem-estar animal.

Ao assinar o documento, o diretor-geral da FAO, o brasileiro José Graziano da Silva, disse que a “Slow Food e a FAO compartilham a mesma visão de um mundo sustentável e sem fome, salvaguardando a biodiversidade para as gerações futuras”. Segundo Graziano, o acordo é mais um passo em direção a esse objetivo.

O presidente da Slow Food, Carlo Petrini, disse que a colaboração com a agência da ONU “deriva do nosso objetivo comum de promover a riqueza das tradições alimentares locais, defendendo a biodiversidade alimentar e o apoio aos pequenos agricultores e produtores”.

‘Slow Food’ é uma organização internacional sem fins lucrativos que promove a qualidade dos alimentos produzidos e distribuídos de uma forma ambientalmente e socialmente sustentável. Possui mais de 100 mil membros em todo o mundo e está presente em 150 países. Através de seus projetos e iniciativas, a ‘Slow Food’ envolve milhões de pessoas em todo o mundo.

Segundo seus coordenadores, foi a entidade foi fundada em 1989 “como resposta aos efeitos padronizantes do ‘fast food’; ao ritmo frenético da vida atual; ao desaparecimento das tradições culinárias regionais; ao decrescente interesse das pessoas na sua alimentação; na procedência e sabor dos alimentos; e em como nossa escolha alimentar pode afetar o mundo”.


*Texto publicado originalmente no site da ONU no Brasil

Leave a Comment:

Últimas notícias

Visual Portfolio, Posts & Image Gallery for WordPress

7

Transumância

Date 5 dezembro, 2022
Era uma manhã de domingo nublada, um pouco chuvosa. Final de outubro, outono em Madrid. Algumas das principais ruas do centro da...

Dona_joana_manue_foto_Jussara_Dantas

Três vezes manuê

Date 1 dezembro, 2022
O manuê ou manauê é um bolo de milho e melado de cana com muito sabor e muita história. Faz parte do...

WhatsApp-Image-2022-11-17-at-16.22.06

“É preciso mudar radicalmente o sistema alimentar vigente”, defende Carlo Petrini, fundador do movimento Slow Food, em evento realizado em São Paulo no início de novembro de 2022.

Por mais ativismo alimentar na gastronomia

Date 18 novembro, 2022
“É preciso mudar radicalmente o sistema alimentar vigente”, defende Carlo Petrini, fundador do movimento Slow Food, em evento realizado em São Paulo...

taioba Festival Arca do Gosto 2016

Festival Arca do Gosto

Date 16 novembro, 2022
O Festival Arca do Gosto é um festival ecogastronômico voltado para a sensibilização de restaurantes e comensais sobre a biodiversidade e os...