Projeto Alimentos Bons, Limpos e Justos: ampliação e qualificação da participação da agricultura familiar brasileira no movimento Slow Food promove seminário para seu encerramento

Na foto: Equipes Slow Food, UFSC e representantes da rede de universidades e do governo federal.

Aconteceu entre os dias 5 e 6 junho, no restaurante Quintana Bar parceiro da rede Slow Food em São Paulo, o seminário final que reuniu alguns dos representantes da equipe envolvida por mais de dois anos no projeto Alimentos Bons, Limpos e Justos na Agricultura Familiar, uma projeto de extensão em parceria entre o Slow Food Brasil, a Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e uma rede nacional de Universidades, apoiado pelo Governo Federal, através da Secretaria Especial de Agricultura Familiar e do Desenvolvimento Agrário (SEAD).

O projeto teve por objetivo aproximar a agricultura familiar dos princípios e programas do Slow Food para a salvaguarda da biodiversidade agrícola e da cultura alimentar da cinco regiões do Brasil. Atividades de campo envolvendo agricultores familiares, extrativistas e pescadores aconteceram em 10 estados, dois por cada região: Amazonas e Pará (Norte), Rio Grande do Norte e Bahia (Nordeste), Goiás e Mato Grosso (Centro-Oeste), Minas Gerais e Rio de Janeiro (Sudeste), Santa Catarina e Rio Grande do Sul (Sul).

Foram pilares do projeto, ações de pesquisa de alimentos em risco de desaparecimento (Arca do Gosto), identificação de comunidades que produzem com métodos bons, limpos e justos (Comunidades do Alimento), valorização dos produtos, técnicas tradicionais e ecossistemas dos diferentes biomas brasileiros (Fortalezas), promoção da troca de conhecimento sobre a cultura alimentar com jovens rurais (Ecogastronomia), identificação de estratégias de mercados para os produtos da agricultura familiar (Comercialização) e divulgação do conhecimento (Comunicação). Ao final, foram 150 produtos da Arca do Gosto e Comunidades do Alimento mapeados, 20 Fortalezas articuladas, 150 jovens rurais capacitados em Ecogastronomia e realizados cinco Seminários de Comercialização, sendo quatro regionais e um nacional.

O projeto permitiu a aproximação da agricultura familiar e de suas organizações à filosofia do movimento Slow Food, além da participação na rede e da construção de novos laços. Ao mesmo tempo, criou-se envolvimento com os programas e eventos regionais, nacionais e internacionais, e gerou-se maior conhecimento, por parte dos agricultores, das forças, oportunidades, fraquezas e ameaças dos arranjos produtivos, fortalecendo, assim, sua  autonomia e autoestima por meio do reconhecimento do valor e da identidade dos produtos, de sua divulgação e participação em novos espaços de articulação e também a participação e o protagonismo dos jovens rurais.

O projeto também foi  uma oportunidade para uma aproximação entre a  equipe da Associação Slow Food do Brasil e uma rede nacional de universidades com sede nas cinco regiões, estabelecendo relações de confiança e permitindo o desenvolvimento conjunto de metodologias,  adaptação de ferramentas, formação de multiplicadores no âmbito acadêmico e a identificação de novas oportunidades para projetos de pesquisa e extensão.

Entre as principais novidades, o projeto possibilitou a Formação de Multiplicadores da Arca do Gosto feita através de um curso à distância, estruturado em 5 aulas, com  um total de 20 horas, com facilitação, acompanhamento e entrega de fichas de candidatura de novos produtos em risco de desaparecer para serem catalogados e embarcados na Arca do Gosto. Ao mesmo tempo, o projeto permitiu a adaptação de conteúdos, ampliação e impressão de uma cartilha sobre biodiversidade: “Arca do Gosto e Fortalezas Slow Food: um guia para entender o que são, como se relacionam com o que comemos e como podemos apoiá-las”.

Após três anos de articulação, tanto com o Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA)  quanto com a Secretaria Especial de Agricultura Familiar e do Desenvolvimento Agrário (SEAD), o Slow Food Brasil termina esse projeto com uma maior capilaridade  e presença em diversos territórios, particularmente no meio rural. “Terminamos esse ciclo com uma rede articulada e fortalecida e com o desafio de dar continuidade às ações de aproximação campo-cidade, para incentivar a participação efetiva da agricultura familiar agroecológica nos espaços de diálogo e construção de um modelo de produção e consumo bom, limpo e justo para todos”, explicou Valentina Bianco, coordenadora do projeto pelo Slow Food Internacional.

O Seminário Final permitiu construir um diálogo sobre os principais resultados e desafios do projeto. Após análise coletiva, a equipe presente concluiu que de todas as ações realizadas, o maior resultado foi obtido através das atividades de capacitação em ecogastronomia com jovens rurais, que aconteceram em Florianópolis (SC), Montes Claros (MG) e Manaus (AM). Apesar disso, Valentina reflete que ainda é preciso que essas ações sejam acompanhadas por uma política pública que incentive a comercialização dos produtos da agricultura familiar, as produções artesanais de qualidade e o turismo rural de base comunitária, criando assim oportunidades de permanência dos jovens rurais que queiram continuar no campo.

Mais informações: https://www.slowfoodbrasil.com/arca-do-gosto/produtos-do-brasil/146-sobre-o-slow-food/1199-projeto

Facebook: https://www.facebook.com/ProjetoAlimentosBonsLimposeJustos/

Leave a Comment:

Últimas notícias

Visual Portfolio, Posts & Image Gallery for WordPress

7

Transumância

Date 5 dezembro, 2022
Era uma manhã de domingo nublada, um pouco chuvosa. Final de outubro, outono em Madrid. Algumas das principais ruas do centro da...

Dona_joana_manue_foto_Jussara_Dantas

Três vezes manuê

Date 1 dezembro, 2022
O manuê ou manauê é um bolo de milho e melado de cana com muito sabor e muita história. Faz parte do...

WhatsApp-Image-2022-11-17-at-16.22.06

“É preciso mudar radicalmente o sistema alimentar vigente”, defende Carlo Petrini, fundador do movimento Slow Food, em evento realizado em São Paulo no início de novembro de 2022.

Por mais ativismo alimentar na gastronomia

Date 18 novembro, 2022
“É preciso mudar radicalmente o sistema alimentar vigente”, defende Carlo Petrini, fundador do movimento Slow Food, em evento realizado em São Paulo...

taioba Festival Arca do Gosto 2016

Festival Arca do Gosto

Date 16 novembro, 2022
O Festival Arca do Gosto é um festival ecogastronômico voltado para a sensibilização de restaurantes e comensais sobre a biodiversidade e os...