Delegação Brasileira do Terra Madre 2014

Às vésperas da edição de 2014 do Salone del Gusto e Terra Madre, em Turin/Itália, estamos muito entusiasmados com a participação da delegação brasileira no evento.

Esta é a primeira edição depois da formação da Associação Slow Food do Brasil, que está dando cada vez mais autonomia ao movimento em nosso país, rearticulando nossa atuação e capilarizando o alcance da filosofia do Slow Food até os nós desta grande rede do alimento bom, limpo e justo: os convívios e as comunidades do alimento.

Esta edição do Salone del Gusto e Terra Madre comemora o Ano Internacional da Agricultura Familiar, dando destaque a produtos em risco de extinção catalogados na Arca do Gosto do mundo todo. Os agricultores familiares são os verdadeiros guardiões da diversidade agrícola e cultural por trás dos alimentos, sendo essenciais para um modelo de produção e consumo que almejamos.

A Arca do Gosto é uma das principais iniciativas  do Slow Food contra a padronização massiva da alimentação, dando maior visibilidade a produtos esquecidos ou negligenciados. Compreendemos que os alimentos vão muito além dos produtos em si, se relacionando com o território e a identidade das comunidades que os produzem e/ou consomem.

Mesmo quando se trata de alimentos do dia-a-dia, é cada vez mais frequente a dificuldade de encontrarmos ingredientes tão presentes há poucas décadas atrás. Estes são desvalorizados pelo modo de produção atual refletindo na ausência deles em mercados e feiras. Você pode ajudar a valorizá-los e mantê-los vivos indicando novos produtos para a Arca. Para maiores informações sobre a Arca do Gosto acesse: slowfoodbrasil.com/arca

Mais de trinta comunidades da rede Terra Madre protagonizam esta delegação, representando a vasta diversidade humana e alimentar que temos em nosso país. Elas são de todas as regiões e biomas do Brasil, mostrando produtos e compartilhando experiências. Encontramos aqui, grupos que lidam com alimentos como méis de abelhas nativas, passando por processados como queijos de leite cru e bebidas artesanais até frutos e seus derivados.

Dentre as comunidades também há as Fortalezas Slow Food, como as do Waraná Nativo e o Néctar de Canudo dos índios Sateré-Mawé, do Umbu, do Licuri, do Palmito Juçara e do Pinhão da Serra Catarinense. Todas elas têm grande importância para o Slow Food, reforçando a ligação do movimento com a valorização das culturas alimentares.

Ir ao Salone del Gusto e Terra Madre é também uma ocasião para que os cozinheiros da rede se engajem e se integrem à Aliança de Cozinheiros Slow Food – um projeto que tem a intenção de fortalecer e formalizar o comprometimento dos cozinheiros da rede com as comunidades, segundo os princípios do Slow Food. Para maiores informações sobre a Aliança acesse slowfoodbrasil.com/alianca

Por fim teremos ainda a presença de grupos transversais da nossa rede como o GT de Queijos Artesanais de Leite Cru, GT de Educação, Slow Fish (pesca sustentável), SFYN (Rede Jovem Slow Food), os Facilitadores Regionais e os Conselheiros da Associação Slow Food do Brasil.

Esperamos voltar cheios de inspiração para fortalecer ainda mais nossa crescente rede.

Deixe um comentário:

Últimas notícias

Visual Portfolio, Posts & Image Gallery for WordPress

sociobio Amazônia no Acre

Reunião na Terra Indígena Katukina-Kaxinawá em Cruzeiro do Sul, Acre, sobre o edital da alimentação escolar para povos e comunidades tradicionais.

Projeto Sociobiodiversidade Amazônica no Acre: desenvolvimento do programa nacional de alimentação escolar (PNAE) para povos indígenas e comunidades tradicionais

Date 29 setembro, 2022
Foto: Reunião na Terra Indígena Katukina-Kaxinawá em Cruzeiro do Sul, Acre, sobre o edital da alimentação escolar para povos e comunidades tradicionais....