Licuri: A jóia do semiárido baiano

O site Paladar do Estadão publicou reportagem sobre o Licuri:

Preste bem atenção nesta noz no meio da página porque você ainda vai ouvir falar muito dela. Com textura naturalmente crocante e sabor intenso (de coco, com um toque acentuado de castanha), está dando sinal de que vai logo entrar na moda, pelo menos na alta gastronomia. Não faltam atributos a esse coquinho de apenas 1,5 cm chamado licuri, mas conhecido também como ouricuri, aricuri e pelo menos lisonjeiro apelido de coquinho-cabeçudo.

Ele é bem versátil e prestativo. Fica bom doce ou salgado, verde ou maduro. Dele se fazem leite e farinha. E da noz se extrai um azeite muito perfumado, que serve tanto como ingrediente quanto para finalizar saladas, pratos e doces. O licuri é um coquinho nativo do semiárido baiano – encontrado também no norte de Minas Gerais, Alagoas e em Pernambuco. Do alto dos quase dez metros da palmeira Syagrus coronata, conhecida como palmeira solitária, pendem cachos com cerca de 1.400 coquinhos. Uma árvore sustenta, de uma vez, até oito cachos.

Clique e leia a matéria completa no Estadão
 

Deixe um comentário:

Últimas notícias

Visual Portfolio, Posts & Image Gallery for WordPress

Terra: a mãe de todas as lutas

Democratizar o acesso à terra e ao alimento bom, limpo e justo é dar condições à vida Confluindo com o mês de visibilidade às lutas dos povos originários, em abril, iniciaram as...

Peixe de Varal

Pescados artesanais, cozinha local, sabedoria caiçara, tempo, sol e mar,  são esses os ingredientes que da Peixe de Varal. Angélica Souza é pescadora, cozinheira e empreendedora na Peixe de Varal. É um...

Território e Cultura Alimentar no Ceará

Projeto propõe ações de fortalecimento junto a comunidades indígenas cearenses A confluência entre a Associação Slow Food do Brasil (ASFB), a Secretaria de Desenvolvimento Agrário, através do Projeto São José, e a...